TRANSTORNO BIPOLAR E AUTISMO

Compartilhe

Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no twitter

O Transtorno Bipolar (TB) é um transtorno afetivo do humor. É conhecido por seus ciclos de humor elevado, seguidos por humor deprimido. Esses ciclos podem ocorrer em dias, semanas ou até meses.

O Transtorno do Espectro do Autismo (TEA) é uma variedade de sintomas que incluem dificuldades com habilidades sociais, fala, comportamento e comunicação. O termo “espectro” é usado porque esses desafios se enquadram em uma ampla gama. Os sinais e sintomas de autismo de cada pessoa são diferentes.

Há alguma sobreposição entre TB e autismo. No entanto, o número exato de pessoas com ambas as condições não é conhecido.

Segundo um estudo, até quantos 27% de crianças com autismo apresentam sintomas de transtorno bipolar. No entanto, outras estimativas dizem que o número real pode ser muito menor.

Isso ocorre porque o TB e o autismo compartilham vários sintomas e comportamentos comuns. Algumas pessoas com TEA podem ser erroneamente diagnosticadas como bipolares, quando seus sintomas são realmente o resultado de comportamentos autistas.

Continue lendo para aprender a reconhecer sintomas legítimos do TB. Isso pode ajudar você a entender se o que você ou um ente querido pode estar enfrentando é TB ou não. Um diagnóstico pode não ser claro, mas você e um psiquiatra podem trabalhar com os sintomas para determinar se você tem transtorno bipolar e autismo.

A Psicóloga Marina Almeida é especialista em TEA em crianças, jovens e adultos, entre em contato para uma consulta diagnóstica e tratamento presencial ou on-line em plataforma segura, abaixo do artigo você encontra as informações.

Pessoas que estão no espectro do autismo são mais propensas a mostrar sinais e sintomas do transtorno bipolar. Eles também são mais propensos a serem diagnosticados com o transtorno psiquiátrico do que a população típica. No entanto, não está claro qual porcentagem ou por quê.

Os pesquisadores sabem que o transtorno bipolar pode estar associado aos seus genes. Se você tem um familiar próximo que tem transtorno bipolar ou depressão, você tem uma chance de desenvolver a condição. Isso vale para o autismo. Genes específicos ou erros nos genes podem aumentar seu risco de desenvolver autismo.

Pesquisadores encontraram alguns dos genes que podem estar conectados ao transtorno bipolar e vários desses genes também podem estar ligados ao autismo. Embora essa pesquisa seja preliminar, os cientistas acreditam que pode ajudá-los a entender por que algumas pessoas desenvolvem o Transtorno do Espectro Autista (TEA) e Transtorno Bipolar(TB).

Como os sintomas se comparam?

Os sintomas do transtorno bipolar se enquadram em duas categorias. Essas categorias são determinadas pelo tipo de humor que você está enfrentando.

Os sintomas de um episódio maníaco incluem:

  • Agindo extraordinariamente feliz, otimista e conectado
  • Aumento de energia e agitação
  • Senso exagerado de autoestima e autoestima inflada
  • Distúrbios do sono
  • Sendo facilmente distraído

Os sintomas de um episódio depressivo incluem:

  • Agindo ou sentindo-se triste ou deprimido, triste ou sem esperança
  • Perda de interesse em atividades normais
  • Mudanças repentinas e dramáticas no apetite
  • Perda de peso inesperada ou ganho de peso
  • Fadiga, perda de energia e sono frequente
  • Incapacidade de se concentrar ou se concentrar

A gravidade dos sintomas do autismo difere de pessoa para pessoa.

Os sintomas do autismo incluem:

  • Dificuldade com interação social e comunicação
  • Praticando comportamentos repetitivos que não são fáceis de perturbar
  • Exibindo preferências ou práticas muito específicas que não são facilmente alteradas

Como reconhecer mania em alguém que tem autismo?

Se você acha que você ou um ente querido podem ter transtorno bipolar e autismo, é importante entender como as condições aparecem juntas. Os sintomas de TB e TEA podem ser consideradas uma comorbidade são diferentes do que se uma das condições fosse por si só.

A depressão é mais de fácil de identificar. Mania é menos clara. É por isso que reconhecer mania em alguém com autismo pode ser difícil.

Se os comportamentos têm sido constantes desde que os sintomas associados ao autismo apareceram, provavelmente não é mania. No entanto, se você notar uma mudança ou mudança repentina, esses comportamentos podem ser o resultado da mania.

Depois de identificar quando os sintomas apareceram, procure os sete principais sinais de mania em pessoas com autismo.

O que fazer se você suspeitar de transtorno bipolar em alguém com autismo?

Se você acha que seus sintomas ou os de um ente querido são o resultado do transtorno bipolar, consulte seu médico de família ou especialista em autismo. Eles podem determinar se um problema médico agudo é responsável pelos sintomas observados. Se eles descartarem essa condição, podem encaminhá-lo para um especialista em saúde mental. Enquanto os clínicos gerais são maravilhosos para muitos problemas de saúde, consultar um psiquiatra ou outro especialista em saúde mental é o melhor nessa situação.

Marque uma consulta com um desses especialistas. Revise suas preocupações. Juntos, você pode trabalhar para encontrar um diagnóstico ou uma explicação para os sintomas que está enfrentando, seja o transtorno bipolar ou alguma outra condição.

A Psicóloga Marina Almeida é especialista em TEA em crianças, jovens e adultos, entre em contato para uma consulta diagnóstica e tratamento presencial ou on-line em plataforma segura, abaixo do artigo você encontra as informações.

Obtendo um diagnóstico

Obter um diagnóstico nem sempre é um processo claro. Em muitos casos, o transtorno bipolar em pessoas com autismo não atende à definição médica estrita. Isso significa que seu médico ou terapeuta pode ter que usar outros meios e observações para fazer um diagnóstico.

Antes de fazer um de Transtorno Bipolar, seu médico pode excluir outras condições. Muitas condições ocorrem frequentemente com autismo, e muitas delas compartilham sintomas com transtorno bipolar.

A Psicóloga Marina Almeida é especialista em TEA em crianças, jovens e adultos, entre em contato para uma consulta diagnóstica e tratamento presencial ou on-line em plataforma segura, abaixo do artigo você encontra as informações.

Essas condições incluem:

  • Depressão
  • Transtorno de Déficit de Atenção e Hiperatividade
  • Transtorno Desafiador e Opositor
  • Esquizofrenia

Se o seu médico começar a tratar você ou um ente querido para o transtorno bipolar quando não for a causa real dos sintomas, os efeitos colaterais do tratamento podem ser problemáticos. É melhor trabalhar em estreita colaboração com o seu médico para obter um diagnóstico e encontrar uma opção de tratamento segura.

O que esperar do tratamento?

O objetivo do tratamento para o Transtorno Bipolar é estabilizar o humor e evitar grandes variações de humor. Isso pode interromper episódios maníacos ou depressivos problemáticos. Alguém com o distúrbio pode ser capaz de regular seus próprios comportamentos e humor mais facilmente, se isso acontecer.

O tratamento pode ajudar as pessoas a fazer isso. O tratamento típico para o transtorno bipolar é medicações psicoativas ou estabilizadores de humor anti-convulsivo.

O Lítio (esqualito) é o medicamento psicoativo mais comumente prescrito. No entanto, pode causar efeitos colaterais significativos, incluindo toxicidade. Para pessoas com dificuldades de comunicação, o que é comum para pessoas no espectro do autismo, essa é uma preocupação séria. Se eles não conseguirem comunicar seus sintomas, a toxicidade não poderá ser descoberta até tarde demais.

Também são usados medicamentos estabilizadores de humor anticonvulsivos, como o ácido valpórico.

Para crianças com TB e TEA, também pode ser usada uma combinação de medicamentos estabilizadores do humor e antipsicóticos. Estes medicamentos combinados incluem risperidona e aripiprazol. No entanto, há um risco significativo de ganho de peso e diabetes com alguns medicamentos antipsicóticos, portanto, as crianças devem ser monitoradas de perto pelo médico.

Alguns médicos também podem prescrever uma intervenção de tratamento familiar, especialmente com crianças. Essa combinação de tratamento entre educação e terapia pode ajudar a diminuir as graves mudanças de humor e melhorar o comportamento.

Como lidar?

Se você são pais de uma criança com TB que também está no espectro do autismo, saiba que você não está sozinho. Muitos pais enfrentam as mesmas perguntas e preocupações que você. Encontrá-los e desenvolver uma comunidade de apoio pode ser útil para você, à medida que aprende a lidar com as mudanças do seu filho ou a amar a desordem.

Pergunte ao seu médico ou seu hospital sobre grupos de apoio locais. Você também pode usar sites como Autism Speaks e Autism Support Network para encontrar pessoas em uma situação como a sua.

Da mesma forma, se você é um adolescente ou adulto que está lidando com essa combinação de distúrbios, encontrar apoio pode ajudá-lo a aprender a lidar com os efeitos colaterais dessas condições.

Um psicólogo ou especialista em saúde mental é um recurso maravilhoso para a terapia individual. Você também pode perguntar sobre as opções de terapia de grupo.

A Psicóloga Marina Almeida é especialista em TEA em crianças, jovens e adultos, entre em contato para uma consulta diagnóstica e tratamento presencial ou on-line em plataforma segura, abaixo do artigo você encontra as informações.

Pedir ajuda a pessoas que sabem como é estar no seu lugar pode ajudar muito a se sentir capacitado e capaz de lidar com os desafios que enfrenta. Como você saberá que não está sozinho, pode se sentir mais habilitado e capaz.

Fonte: https://www.healthline.com/health/autism-in-adults#summary

Agendamento para consultas: presencial ou consulta on-line (psicoterapia on-line):

WhatsApp (13) 991773793

Marina S. R. Almeida

Consultora Ed. Inclusiva, Psicóloga Clínica e Escolar

Neuropsicóloga, Psicopedagoga e Pedagoga Especialista

Licenciada pelo Conselho Federal de Psicologia para atendimento de Psicoterapia on-line

CRP 06/41029

INSTITUTO INCLUSÃO BRASIL

(13) 34663504

Rua Jacob Emmerich, 365 sala 13 – Centro – São Vicente-SP

CEP 11310-071

marinaalmeida@institutoinclusaobrasil.com.br

www.institutoinclusaobrasil.com.br

 

https://www.facebook.com/InstitutoInclusaoBrasil/

https://www.facebook.com/marina.almeida.9250

https://www.facebook.com/groups/institutoinclusaobrasil/

 

Conheça o E-Book: Coleção Escola Inclusiva

Plano de Ensino Individualizado

Veja mais

PSICÓLOGA ESCOLAR MARINA ALMEIDA

A psicologia escolar é a prática da psicologia aplicada a aprendizagem, compreendendo a relação dás crianças, jovens, adultos e suas famílias num sistemas escolar. Está

DIFICULDADES DE RELACIONAMENTO

Ter relacionamentos saudáveis com os outros sejam amigos, familiares, colegas ou outras pessoas importantes nos proporciona tantos benefícios e é tão importante para nossa saúde

× Conversar Agora
Skip to content