ORIENTAÇÕES PARA OS PAIS E FILHOS – USO SEGURO DA INTERNET

Compartilhe

Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no twitter

A Internet pode ser maravilhosa para todas as pessoas, e especialmente está sendo para o grupo de crianças e jovens os nativos digitais. Eles podem usá-lo para pesquisar relatórios escolares, comunicar-se com professores e outras crianças/jovens e jogar jogos interativos.

Mas o acesso on-line também vem também com riscos, como conteúdos inadequados, cyberbullying, predadores on-line (pedófilos, perversos, psicopatas, golpistas, vigaristas, etc.).

Isso tudo poderá gerar uma patologia como a adição a internet (vício ou dependência), uso excessivo de celular, smartphone, computador, tablet, jogos eletrônicos, compras na internet,  redes sociais, sites pornográficos, etc.

Usando aplicativos e sites em que as crianças interagem, os predadores podem se passar por uma criança ou adolescente procurando fazer um novo amigo. Eles podem estimular a criança a trocar informações pessoais, como endereço e número de telefone, ou incentivar as crianças a ligar para elas, vendo o número de telefone delas via identificador de chamadas.

Os pais devem estar cientes do que seus filhos veem e ouvem na Internet, quem eles conhecem e o que eles compartilham sobre si mesmos. Converse com seus filhos, use ferramentas para protegê-los e fique de olho em suas atividades.

Leis de segurança na Internet

Uma lei federal dos EUA, a Lei de Proteção à Privacidade Online para Crianças (COPPA), ajuda a proteger crianças menores de 13 anos quando estão on-line. Ele foi criado para impedir que qualquer pessoa receba informações pessoais de uma criança sem que os pais saibam e concordem com ela primeiro.

A COPPA exige que os sites expliquem suas políticas de privacidade e obtenham o consentimento dos responsáveis ​​antes de coletar ou usar as informações pessoais de uma criança, como nome, endereço, número de telefone ou número do seguro social. A lei também proíbe que um site exija que uma criança forneça mais informações pessoais do que o necessário para jogar ou participar de um concurso.

No Brasil ainda se discute propostas para uma legislação específica que discipline a proteção de dados pessoais. Temos atualmente  a legislação: Marco Civil da Internet.  Mas o tema já foi reconhecido como relevante por diversos outros países, que estabeleceram leis ou normas voltadas a regular a coleta e o processamento de informações, tema que vem ganhando visibilidade em todo o mundo.

Ferramentas de Proteção Online

As ferramentas on-line permitem que você controle o acesso de seus filhos a material adulto e ajude a protegê-los dos predadores da Internet. Muitos provedores de serviços de Internet (ISPs) fornecem opções de controle dos pais. Você também pode obter um software que ajuda a bloquear o acesso a sites e restringe o envio de informações pessoais on-line. Outros programas podem monitorar e rastrear atividades online.

Envolvendo-se em atividades online para crianças

Mais importante do que bloquear material censurável é ensinar aos seus filhos um comportamento on-line seguro e responsável e manter um olho no uso da Internet.

Diretrizes básicas para compartilhar com seus filhos para uso on-line seguro:

  • Siga as regras da família e as definidas pelo provedor de serviços de Internet.
  • Nunca poste ou troque imagens pessoais.
  • Nunca revele informações pessoais, como endereço, número de telefone ou nome da escola ou local.
  • Use apenas um nome de tela e não compartilhe senhas (com exceção dos pais).
  • Nunca concorde em se reunir pessoalmente com alguém que conheceu on-line sem a aprovação e / ou supervisão dos pais.
  • Nunca responda a um e-mail ameaçador, mensagem, postagem ou texto.
  • Sempre diga a um pai ou a outro adulto de confiança sobre qualquer comunicação ou conversa que tenha sido assustadora ou prejudicial.

Diretrizes básicas para supervisão dos pais:

  • Passe tempo on-line juntos para ensinar a seus filhos o comportamento on-line adequado.
  • Mantenha o computador em uma área comum onde você possa assistir e monitorar seu uso, não em quartos individuais. Monitore qualquer tempo gasto em smartphones ou tablets.
  • Marque os sites favoritos das crianças para facilitar o acesso.
  • Verifique suas faturas de cartão de crédito e telefone para cobranças de contas desconhecidas.
  • Descubra o que, se houver, a proteção on-line é oferecida pela escola do seu filho, pelo centro após a escola, pelas casas dos amigos ou em qualquer lugar onde as crianças possam usar um computador sem sua supervisão.
  • Leve seu filho a sério se ele ou ela relatar uma troca on-line desconfortável.

Ligue para o Centro Nacional para Crianças Desaparecidas e Exploradas em (800) 843-5678 se você souber do envio, uso ou visualização de pornografia infantil on-line. Entre em contato com a agência local de aplicação da lei ou com o FBI se o seu filho tiver recebido pornografia infantil pela Internet.

Preste atenção aos sinais de alerta de uma criança sendo alvo de um predador online. Estes podem incluir:

  • Passar longas horas on-line, especialmente à noite
  • Telefonemas de pessoas que você não conhece
  • Presentes não solicitados chegando no correio
  • Seu filho de repente desligar o computador quando você entra na sala
  • Afastamento da vida familiar e relutância em discutir atividades online

Converse com seus filhos! Mantenha uma linha aberta de comunicação e certifique-se de que eles se sintam à vontade para se conectar a você quando tiverem problemas on-line.

A Internet e Adolescentes

À medida que as crianças crescem, fica um pouco mais complicado monitorar o tempo gasto online. Eles podem levar um smartphone com eles em todos os momentos. Eles provavelmente querem – e precisam – um pouco de privacidade. Isso é saudável e normal, pois eles estão se tornando mais independentes de seus pais. A Internet pode fornecer um ambiente “virtual” seguro para explorar alguma liberdade recém-descoberta, se forem tomadas precauções.

Fale sobre os sites e aplicativos que os adolescentes usam e sobre suas experiências on-line. Discuta os perigos de interagir com estranhos online e lembre-os de que as pessoas on-line nem sempre dizem a verdade. Explique que as senhas estão lá para proteger contra coisas como roubo de identidade. Eles nunca devem compartilhá-los com ninguém, nem com namorado, namorada ou melhor amigo.

Assumir um papel ativo nas atividades de Internet de seus filhos ajuda a garantir que eles sejam beneficiados sem estarem expostos aos perigos potenciais.

O que é o Helpline.br?

Um canal gratuito  que oferece orientação de forma pontual e informativa para esclarecer dúvidas, ensinar formas seguras de uso da Internet e também orientar crianças e adolescentes e/ou seus próximos que vivenciaram situações de violência on-line como humilhações, intimidações, chantagem, tentativa de violência sexual ou exposição forçada em fotos ou filmes sensuais.

Composto por uma equipe de Psicologia que faz orientação online. A orientação não é uma psicoterapia e não substitui o atendimento psicológico presencial. A orientação é dada de maneira breve, pontual e sobre um assunto específico. Caso seja necessário aprofundar o acompanhamento por mais tempo faremos o encaminhamento para um serviço especializado presencial, de acordo com cada caso.  https://new.safernet.org.br/helpline

Denuncie abusos na internet:

https://new.safernet.org.br/denuncie

Download Cartilha Segurança na Internet:

https://cartilha.cert.br/

Sites para você se informar sobre segurança na internet:

https://new.safernet.org.br/

https://www.internetsegura.pt/

https://safety.google/intl/pt-BR/security/security-tips/

https://br.norton.com/internetsecurity-kids-safety-5-cybersafety-tips-every-parent-should-know.html

https://blog.starti.com.br/seguranca-na-internet/

Entre em contato comigo e agende uma entrevista:

Marina S. R. Almeida

Consultora Ed. Inclusiva, Psicóloga Clínica e Escolar

Neuropsicóloga, Psicopedagoga e Pedagoga Especialista

CRP 41029-6

INSTITUTO INCLUSÃO BRASIL

Whatsapp (13) 991773793 ou (13) 34663504

Rua Jacob Emmerich, 365 sala 13 – Centro – São Vicente-SP

CEP 11310-071

marinaalmeida@institutoinclusaobrasil.com.br

www.institutoinclusaobrasil.com.br

https://www.facebook.com/InstitutoInclusaoBrasil/

https://www.facebook.com/marina.almeida.9250

https://www.facebook.com/groups/institutoinclusaobrasil/

Atenção: Este site não oferece tratamento ou aconselhamento imediato para pessoas em crise suicida.

Em caso de crise, ligue para 188 (CVV) ou acesse o site www.cvv.org.br.

Em caso de emergência, procure atendimento em um hospital mais próximo.

Conheça os E-Books

Coleção Escola Inclusiva

Coleção Escola Inclusiva

A Coleção Escola Inclusiva aborda vários temas da educação, elucidando as dúvidas mais frequentes dos professores, profissionais e pais relativas à Educação Inclusiva.

Outros posts

2 respostas

    1. Boa noite, Maiara
      Sim está mesmo, mas por isso que há necessidade de ensinar, conversar, orientar os filhos e monitorar.
      Fico a disposição!
      Att.
      Marina S. R. Almeida
      Consultora Ed. Inclusiva, Psicóloga Clínica e Escolar
      Neuropsicóloga, Psicopedagoga e Pedagoga Especialista
      CRP 41029-6
      INSTITUTO INCLUSÃO BRASIL
      Whatsapp (13) 991773793 ou (13) 34663504
      Rua Jacob Emmerich, 365 sala 13 – Centro – São Vicente-SP
      CEP 11310-071
      marinaalmeida@institutoinclusaobrasil.com.br
      http://www.institutoinclusaobrasil.com.br
      https://www.facebook.com/InstitutoInclusaoBrasil/
      https://www.facebook.com/marina.almeida.9250
      https://www.facebook.com/groups/institutoinclusaobrasil/

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

× Conversar Agora