PERFIL PSICOEDUCACIONAL REVISADO PEP-R E PEP-3

Compartilhe

Os instrumentos PEP-R Perfil Psicoeducacional Revisado e PEP-3 são utilizados para medir a idade de desenvolvimento da criança com Autismo ou com algum déficit de comunicação. São instrumentos referenciais de análises do desenvolvimento e comportamento ideais para formulação de planos educacionais individualizados.

Atualmente o diagnóstico do Transtorno do Espectro Autista com base no Manual de Diagnóstico e Estatística dos Transtornos Mentais – DSM-5 e a Classificação Estatística Internacional de Doenças e Problemas Relacionados à Saúde e CID-11 que entrará em vigor em 1 de janeiro de 2022.

Em função da necessidade de identificar padrões irregulares de aprendizagem em crianças Autistas e crianças com déficit de desenvolvimentos o Perfil Psicoeducacional (PEP) foi desenvolvido e lançado em 1979 por Eric Schopler, Rober Jay Richler, Ann Rashlord e Lee M. Marcos. A segunda versão revisada foi publicada em 1988 na Carolina do Norte – EUA.

Cabe salientar que o PEP-R oferece uma abordagem desenvolvimentista para a avaliação de crianças com autismo ou com transtornos correlatos da comunicação, isto é, compreende que crianças, com desenvolvimento típico ou não, crescem e mudam suas habilidades com a idade. Todavia, pode-se dizer que segue uma metodologia descritiva, na qual os parâmetros são identificados a partir de observações comportamentais, procurando-se, então, identificar o aumento das capacidades do organismo, com base no conceito de maturação.

O PEP-R é um inventário de comportamentos e habilidades em crianças com Autismo e com déficits de desenvolvimentos semelhantes. Seus resultados são utilizados para criar Planejamentos Educacionais Individualizados que vão acompanhando as mudanças conforme a idade.

Perfil Psicoeducacional Revisado PEP-R  – Padronização no Brasil

O Brasil passou a utilizar o Perfil Psicoeducacional Revisado PEP-R  em 1992. Esse instrumento era utilizado em sua forma original americana sem adaptações apenas tradução. Em 2002 a psicóloga Dra. Viviane Costa de Leon foi a responsável pela tradução, validação e adaptação do PEP-R para o Brasil, em sua dissertação de Mestrado na Universidade Federal do Rio Grande do Sul.

O teste deve ser aplicado em crianças de 6 meses a 7 anos ou no máximo até 12 anos. Está dividido em duas áreas:

  • Desenvolvimento – imitação, percepção, coordenação visuo-motora, coordenação motora fina, coordenação motora grossa, performance cognitiva e cognição verbal
  • Comportamento – relacionamento e afeto, brincar e interesse por materiais, respostas sensoriais e linguagem.

Para cada área foi criada uma escala específica. Tarefas, jogos e brincadeiras a serem realizadas e comportamentos a serem observados. O kit PEP-R contém 174 itens e é constituído por uma série de brinquedos e materiais pedagógicos.

Perfil Psicoeducacional-3 – PEP-3

O Perfil Psicoeducacional Revisado PEP-R teve uma nova versão em 2004 nos EUA. O PEP-3 Perfil Psicoeducacional-3, foram adicionados itens para crianças com faixa etária abaixo de dois anos e meio.  Esta nova versão possibilita analisar os níveis de desenvolvimento.  Incluiu itens não verbais, a flexibilidade na administração do teste, itens sem tempo delimitados. Vários níveis de desenvolvimento, tarefas de linguagem separadas das outras áreas de funcionamento:

  • Desenvolvimento – cognitivo verbal/pré-verbal, linguagem expressiva, linguagem receptiva, coordenação motora fina, coordenação motora grossa e imitação visual-motora.
  • Comportamento – expressão afetiva, reciprocidade social, características dos comportamentos motores, características dos comportamentos verbais. 
  • Relatório do Cuidador – problemas de comportamento, autocuidado pessoal, comportamento adaptativo, categorias diagnósticas e grau do problema, níveis atuais de desenvolvimentos.
  • Além das áreas de desenvolvimento e comportamento foi introduzido o relatório do cuidador, para que o profissional possa desenvolver um plano educacional individualizado mais completo.
  • O Kit PEP-3 contém 210 itens entre brinquedos e materiais pedagógicos.

Este inventário é concebido como um instrumento educacional para planejamento de programas educacionais especiais individualizados – Plano de Ensino Individualizado.

Existem 3 volumes que acompanham o PEP-R da série intitulada “Avaliação Individualizada e Tratamento para Crianças Autistas e com Transtornos do Desenvolvimento”.

Os volumes 2 e 3 “Ensinando Estratégias para Pais e Profissionais” (Schopler, Reichier & Lansíng, 1980) e “Ensinando Atividades para Crianças Autistas” (Schopler, Lansing, Waters, 1983), são coleções de atividades de ensino individualizados indexadas de acordo com as 7 áreas funcionais de desenvolvimento do PEP-R.

O volume 4, “Perfil Psicoeducacional para Adolescentes e Adultos” (AAPEP) (Mesiboy et cols, 1988), estende o PEP-R para contemplar as necessidades de adolescentes e adultos.

Entre em contato pelo WhatsApp (13) 991773793, para agendamento de consulta presencial, psicoterapia on-line ou presencial e para Avaliação Neuropsicológica para TEA ou TDHA em Adultos.

Não atendemos crianças e adolescentes, somente adultos maiores de 18 anos.

Marina S. R. Almeida

Consultora Ed. Inclusiva, Psicóloga Clínica e Escolar

Neuropsicóloga, Psicopedagoga e Pedagoga Especialista

Licenciada no E-Psi pelo Conselho Federal de Psicologia para atendimento de Psicoterapia on-line

CRP 06/41029

INSTITUTO INCLUSÃO BRASIL

(13) 34663504

Rua Jacob Emmerich, 365 – sala 13 – Centro – São Vicente-SP

CEP 11310-071

marinaalmeida@institutoinclusaobrasil.com.br

www.institutoinclusaobrasil.com.br

https://www.facebook.com/InstitutoInclusaoBrasil/

https://www.facebook.com/marina.almeida.9250

https://www.facebook.com/groups/institutoinclusaobrasil/

Conheça os E-Books

Coleção Neurodiversidade

Coleção Escola Inclusiva

Os E-books da Coleção Neurodiversidade, abordam vários temas da Educação, elucidando as dúvidas mais frequentes de pessoas neurodiversas, professores, profissionais e pais relativas à Educação Inclusiva.

Outros posts

REFLEXÕES SOBRE PARENTALIDADE E AUTISMO

A Autistic Self Advocacy Network define o autismo como uma deficiência de desenvolvimento que afeta a forma como as pessoas vivenciam o mundo.  Grande parte

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

×