EFEITOS DA PANDEMIA EM PESSOAS COM AUTISMO – TEA – CARTILHAS DE ORIENTAÇÕES E ATIVIDADES

Compartilhe

Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no twitter

Alguns estudos mais recentes em 2020 e 2021, identificaram fatores de estresse durante a quarentena em todos nós, como efeito da duração da quarentena: o medo de infecção pelo vírus COVID-19, frustração, tédio, informações inadequadas no âmbito das políticas públicas, impactos financeiros, dificuldades com plano de saúde, dificuldades de acesso a hospitais e estigma social.

Entretanto, pessoas com Transtorno do Espectro Autista, especialmente as crianças autistas possuem risco aumentado de contágio, em função da hiperreatividade sensorial diante da exploração pelo olfato, como cheirar, colocar na boca e tocar objetos. Aquelas pessoas que têm alterações comportamentais, seja por transtorno do desenvolvimento intelectual, seja por TEA, também estão no grupo de risco. Uma parte delas, por ter um comprometimento imunológico.

Crianças, adolescentes e adultos com TEA viram suas rotinas serem completamente alteradas e foram chamadas a respeitar regras que nem sempre são compreensíveis para elas e muitas vezes não entendiam direito o que era o vírus (usar máscaras, desinfetar as mãos, não tocar nos olhos ou nariz e cobrir a boca. Intensificando a ansiedade, aumentando os problemas de comportamento: ansiedade, irritabilidade, obsessões, compulsões, hostilidade e impulsividade, todos sintomas previamente descritos na literatura associados a essa condição do TEA. Dados da pesquisa da Sociedade Brasileira de Pediatria (2021) encontram alteração do sono em 80% das pessoas com TEA.

No período de fechamento da escola, as crianças com TEA apresentaram predominantemente mudanças de comportamento: dificuldades na atenção/concentração, luta fuga e irritabilidade. Aumentando os quadros de ansiedade e depressão que estão entre os transtornos afetivos mais prevalentes nessas crianças com autismo.

O estresse familiar pelo isolamento social, também alterou a relação dos pais com seus filhos com autismo; levaram a um impacto negativo da quarentena no gerenciamento de emoções associados a adaptação do home office, desemprego, medos, dificuldades ambientais, quebra das rotinas, alterações na alimentação, no sono, no impedimento de atividades de lazer, socialização, brincadeiras e atividades físicas. Por consequência, os comportamentos dos genitores foram modificados para mais irritados, ansiosos, gritando mais com os filhos, impondo mais castigos do que faziam anteriormente antes da pandemia.

Quais medidas poderemos fazer para minimizar estes sofrimentos?

  • Manter um quadro de rotinas
  • Explicar regras de higiene através de desenhos e ilustrações de acordo com o nível de compreensão da criança e estimular atividades de interesse dos pequenos, como livros, filmes e brinquedos especiais.
  • Manter as terapias com os profissionais, quando possível de forma remota (online) mediada pelos pais. Na impossibilidade os profissionais devem realizar orientações online para os pais, ajudando nos manejos diários com os filhos.
  • Alimentação saudável
  • Tomar água
  • Atividade física, meditação e ou atividades de relaxamento
  • Apoio de histórias sociais, imagens, desenhos
  • Brincadeiras sensoriais e ou utilizar brinquedos calmantes ou sensoriais
  • Controle de notícias negativas – ficar longe da TV e das redes sociais por um período de tempo
  • Controle dos excessos do uso de vídeo games, tablets, celulares
  • Para adolescentes com TEA – manter interação com amigos da escola – Cartinhas ou mensagens para amigos, trocas de interesses com músicas, relatar sua rotina, tirar dúvidas sobre tarefas da escola, agendar em plataformas atividades de lazer, como assistir shows com os amigos.
  • Uso de cartilhas de orientações sobre COVID-19 e autismo: UNICEF, Conselho Federal de Enfermagem, Laboratório de Terapia Ocupacional e Universidade Federal de São Carlos (UFSCar). Todas as cartilhas são para baixar gratuitamente e estão na internet.

Aqui no site você poderá encontrar o artigo:

Cartilhas de orientações e atividades:

https://www.unicef.org/brazil/relatorios/turma-da-monica-contra-o-coronavirus

https://www.unicef.org/brazil/comunicados-de-imprensa/covid-19-unicef-disponibiliza-orientacoes-globais-para-proteger-criancas-e-escolas

http://www.institutosantosdumont.org.br/wp-content/uploads/2020/05/Cartilha-de-apoio-%C3%A0s-crian%C3%A7as-com-autismo-no-atual-cen%C3%A1rio-do-coronav%C3%ADrus_Covid19_Instituto-Santos-Dumont.pdf

https://agencia.fapesp.br/ufscar-publica-cartilhas-com-informacoes-sobre-cuidados-com-autistas-ante-covid-19/32926/

https://www.ufms.br/estudantes-produzem-cartilha-com-orientacoes-para-rotina-domiciliar-de-criancas-autistas/

https://www.gov.br/mdh/pt-br/assuntos/noticias/2020-2/setembro/cartilha-da-dicas-de-brincadeiras-para-familias-de-criancas-com-transtorno-do-espectro-autista/OrientaesdebrincadeirasparafamliascomcrianascomtranstornodoESPECTROautista.pdf

https://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/cd03_14.pdf

https://crianca.mppr.mp.br/2020/05/283/COVID-19-Nova-cartilha-Fiocruz-de-saude-mental-aborda-criancas-na-pandemia.html

http://www.portaldeacessibilidade.rs.gov.br/uploads/1595872836Alongamento.pdf

Agendamento para consulta presencial ou consulta de psicoterapia on-line:

WhatsApp (13) 991773793

Marina S. R. Almeida

Consultora Ed. Inclusiva, Psicóloga Clínica e Escolar

Neuropsicóloga, Psicopedagoga e Pedagoga Especialista

Licenciada no E-Psi pelo Conselho Federal de Psicologia para atendimento de Psicoterapia on-line

CRP 06/41029

INSTITUTO INCLUSÃO BRASIL

(13) 34663504

Rua Jacob Emmerich, 365 – sala 13 – Centro – São Vicente-SP

CEP 11310-071

marinaalmeida@institutoinclusaobrasil.com.br

www.institutoinclusaobrasil.com.br

https://www.facebook.com/InstitutoInclusaoBrasil/
https://www.facebook.com/marina.almeida.9250
https://www.facebook.com/groups/institutoinclusaobrasil/

Conheça os E-Books

Coleção Escola Inclusiva

Coleção Escola Inclusiva

A Coleção Escola Inclusiva aborda vários temas da educação, elucidando as dúvidas mais frequentes dos professores, profissionais e pais relativas à Educação Inclusiva.

Outros posts

O TERAPEUTA

A pintura surrealista “O Terapeuta” criada em 1937 por René Magritte, descreve um homem com chapéu sentado numa rocha, com os pés no chão entre

EDUCAÇÃO INCLUSIVA NO BRASIL

O processo da Educação Inclusiva no Brasil é longo e está sustentado em três grandes eixos: filosófico humanístico, política democrática progressista e direitos/valores humanos que

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

×