DIAGNÓSTICO DE SÍNDROME DE ASPERGER EM MENINAS

Compartilhe

Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no twitter

Os sintomas da síndrome de Asperger são diferentes em meninas do que em meninos, consequentemente, mais meninos são encaminhados para uma avaliação de Asperger do que meninas; uma proporção tão alta como 10: 1 foi sugerida.

Apesar disso, a pesquisa epidemiológica sugere que uma proporção de 4: 1 é mais precisa o que significa que existem potencialmente milhares de meninas e jovens com Asperger que nunca foram diagnosticadas.

As principais diferenças entre os diagnósticos de síndrome de Asperger em meninas e meninos parecem ser causadas por diferenças básicas nas formas em que os meninos e meninas se expressam.

O comportamento agressivo é mais visível, e uma criança que é excessivamente agressiva na escola ou em casa é mais provável que seja encaminhada e levada para profissionais de saúde para ser avaliada. Como as meninas têm uma tendência à passividade, timidez e maior capacidade de expressar suas emoções, elas são menos propensas a agir quando estão chateadas, confusas ou sobrecarregadas, por outro lado apresentam maior propensão à depressão, a episódios obsessivos e ansiosos. Como os sintomas são mais leves, os pais também estão mais relutantes em levar sua filha para um diagnóstico.

Sem este “sintoma” agressivo comportamental, os outros aspectos de Asperger são mais propensos a passar despercebidos.

Alguns especialistas especulam que menos garotas são diagnosticadas porque seus colegas têm maior probabilidade de ajudá-las a enfrentar situações sociais, onde os sintomas de Asperger são mais facilmente identificáveis. Nutrir é instintivo em mulheres, e assim os amigos de uma jovem com Aspergers a consolam de forma intuitiva quando ela está chateada ou a guia através de interações sociais. Em contraste, os garotos tendem a ser mais “provocativos” e, portanto, mais propensos a provocar um garoto com síndrome de Asperger e o mesmo poderá ser alvo de bullying na escola.

Os amigos de uma menina fazem o seu melhor para ajudá-la, seus pais e / ou professores podem nunca ver os sintomas – ou talvez não os vejam com bastante frequência – o que justificaria a ausência de um diagnóstico clínico.

Um dos principais sintomas comuns entre meninos e meninas é o hiperfoco em um tema ou tópico particular. Para meninos, os interesses especiais são frequentemente em áreas de ciência, tecnologia ou transporte. Nas meninas, o foco é frequentemente em animais, filmes, musicas ou literatura clássica.

O interesse por si só não é incomum, mas uma criança com síndrome de Asperger terá um conhecimento inusitadamente íntimo de seu tema de interesse. As meninas podem brincar com bonecas e ter amigos imaginários, o que não parece incomum. No entanto, seu interesse por essas coisas continuará mesmo quando ela é adolescente e deveria ter sido superado.

Como as situações sociais são estressantes e estranhas para as meninas com síndrome de Asperger, muitas vezes aprendem a imitar as pessoas que possuem habilidades sociais mais fortes. Eles podem adotar os maneirismos de outra pessoa, expressões faciais e até entonações vocais. Novamente, isso às vezes é mal interpretado – especialmente em jovens ou em mulheres adultas  e pode ser mal diagnosticado como um transtorno de personalidade.

O Dr. Tony Attwood, em seu livro “Asperger no Feminino”, observou que as meninas “estão mais motivadas para aprender e entender os conceitos mais importantes em comparação com meninos com síndrome de Asperger de habilidade intelectual equivalente”. Como tal, ele previu que as meninas iriam obterem este diagnóstico mais positivo se elas de fato forem devidamente diagnosticadas e buscarem terapias psicoterápicas.

Os pais que suspeitam que sua filha tenha síndrome de Asperger devem procurar um profissional da saúde especialista em Transtornos do Espectro Autístico e síndrome de Asperger.

Certifique-se de tomar nota dos comportamentos em questão, incluindo a frequência e o ambiente em que o comportamento ocorre. Como os sintomas de Asperger são muito mais sutis nas meninas, os pais devem consultar alguém especializado em síndrome de Asperger.

Tal como acontece com outras dificuldades comportamentais ou de aprendizagem, as crianças com Asperger têm direitos educacionais específicos. Os pais de uma criança que foi diagnosticada com síndrome de Asperger devem familiarizar-se com a política do escolar e os direitos garantidos para Transtornos do Espectro Autístico sobre os planos de aprendizado especializados.

Muitas vezes, uma jovem com a síndrome de Asperger precisa apenas de uma atenção do profissional de psicologia para mantê-la no caminho certo para atingir seu potencial acadêmico e pessoal.

O Instituto Inclusão Brasil oferece atendimento para avaliação diagnóstica e acompanhamento psicoterápico para crianças, jovens e adultos com síndrome de Asperger.

Bibliografia:

Attwood, T. Tudo sobre síndrome de asperger, Editora: APSA, Lisboa, Portugal, 2005.

_______. Asperger no feminino, Editora: APSA, Lisboa, Portugal, 2000.

Entre em contato comigo e agende uma entrevista:

Marina S. R. Almeida

Consultora Ed. Inclusiva, Psicóloga Clínica e Escolar

Neuropsicóloga, Psicopedagoga e Pedagoga Especialista

CRP 41029-6

INSTITUTO INCLUSÃO BRASIL

Whatsapp (13) 991773793 ou (13) 34663504

Rua Jacob Emmerich, 365 sala 13 – Centro – São Vicente-SP

CEP 11310-071

marinaalmeida@institutoinclusaobrasil.com.br

www.institutoinclusaobrasil.com.br

https://www.facebook.com/InstitutoInclusaoBrasil/

https://www.facebook.com/marina.almeida.9250

https://www.facebook.com/groups/institutoinclusaobrasil/

 

Conheça os E-Books

Coleção Escola Inclusiva

Coleção Escola Inclusiva

A Coleção Escola Inclusiva aborda vários temas da educação, elucidando as dúvidas mais frequentes dos professores, profissionais e pais relativas à Educação Inclusiva.

Outros posts

SEXUALIDADE DAS PESSOAS COM AUTISMO

A sexualidade das pessoas com Autismo apresentam as mesmas necessidades de expressar seus sentimentos de modo próprio e único, como qualquer pessoa, por isso neste

2 respostas

  1. Se importa se eu citar um casal de seu posts enquanto eu fornecer crédito e fontes de volta para seu local ?
    Meu site blog é no exatamente o mesmo nicho como
    o seu e meu usuários teria realmente beneficiar alguns do informações você fornecer aqui.
    Por favor me avise se este okey com você.
    Obrigado!

    1. Boa tarde,
      Sim, está autorizado, pode publicar os dois posts, com os créditos da fonte dos artigos.
      Agradeço muito!
      Fico a disposição,
      Att.
      Marina S. R. Almeida
      Consultora Ed. Inclusiva, Psicóloga Clínica e Escolar
      Neuropsicóloga, Psicopedagoga e Pedagoga Especialista
      CRP 41029-6
      INSTITUTO INCLUSÃO BRASIL
      (13) 34663504
      R. Jacob Emmerich, 365 sala 13 – Centro – São Vicente-SP
      CEP 11310-071
      marinaalmeida@institutoinclusaobrasil.com.br
      http://www.institutoinclusaobrasil.com.br

      https://www.facebook.com/InstitutoInclusaoBrasil/
      https://www.facebook.com/marina.almeida.9250
      https://www.facebook.com/groups/institutoinclusaobrasil

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

× Conversar Agora