ADULTOS AUTISTAS DESAFIOS DAS CONDIÇÕES DE SAÚDE FÍSICA E MENTAL

Compartilhe

Existe uma variedade de condições de saúde física e mental que comumente ocorrem em pessoas autistas. A lista a seguir não é exaustiva, mas destina-se a fornecer uma visão geral de algumas das necessidades concomitantes mais comuns.

Como as pessoas autistas podem ter dificuldade em comunicar suas experiências ou sensações, isso pode dificultar a identificação de necessidades concomitantes. 

Observe se há algo acontecendo fora do comum.

  • Observe e acompanhe os padrões.
  • Converse com outras pessoas que podem ajudar a apoiá-lo, como pediatras, professores e outros cuidadores.
  • Envolva seu ente querido para obter informações e explorar opções sobre o que fazer a seguir.

Saúde Física

Crianças e jovens no espectro são três vezes mais propensos a ter outra condição de saúde a longo prazo em comparação com aqueles sem autismo. Adultos autistas também comumente experimentam uma série de necessidades de saúde física concomitantes.

“Gostaria que as pessoas entendessem como sua saúde física está interligada com todos os outros aspectos de sua saúde (por exemplo, saúde mental). Por exemplo, sentir-se fisicamente bem pode resultar imediatamente em sentir-se mentalmente mais leve” Courtney, autodefensoria, ON

“Também gostaria que os profissionais de saúde soubessem que muitos de nós não apenas lutamos com essa condição, mas às vezes é difícil comunicar as doenças que sentimos. Além disso, quaisquer doenças ou problemas de saúde exacerbam nossa condição, às vezes uma pequena dor ou dor pode ser impossíveis de ignorar ou desligar e outras dores podem não ser sentidas” Adulto, Advogado Próprio, ON

Desafios do Sono

O sono pode ser um desafio ao longo da vida. Muitas pessoas autistas têm dificuldade em adormecer e/ou permanecer dormindo durante a noite. Problemas de sono podem se estender de outras condições de saúde física e mental, como ansiedade, depressão, distúrbios gastrointestinais, TDAH ou como efeito colateral de um medicamento. 

Algumas características como hipersensibilidade a imagens e sons e interrupções nas rotinas também aumentam os distúrbios do sono. Mais pesquisas são necessárias, mas estudos iniciais determinaram que alguns indivíduos no espectro têm ritmos circadianos diferentes. Problemas de sono podem ter impactos negativos no comportamento, interferir no aprendizado e diminuir a qualidade de vida geral.

Desafios de Comer e Alimentar

Os desafios alimentares ocorrem em até 80% das crianças no espectro, com até 10% delas se tornando condições vitalícias.

Muitos adultos autistas também descrevem aversões alimentares e padrões alimentares restritos. Sensibilidades sensoriais em sabor, textura e cheiro, bem como uma forte preferência pela mesmice, podem afetar a dieta de um indivíduo e criar problemas com a seletividade alimentar e restrição alimentar.

Epilepsia e Convulsões

A epilepsia é um distúrbio neurológico caracterizado por convulsões repetidas que podem variar em tipo e gravidade. A associação entre autismo e epilepsia foi bem estabelecida, mas são necessárias mais informações sobre porque eles ocorrem frequentemente. 

A pesquisa sobre a prevalência de autismo e epilepsia tem resultados variados, no entanto, todos os estudos sugerem uma maior prevalência de transtorno convulsivo na população autista em comparação a população geral.

As convulsões podem afetar significativamente as habilidades do dia a dia de uma pessoa autista. Os sinais incluem:

  • Feitiços de olhar inexplicáveis
  • Movimentos involuntários
  • Confusão inexplicável
  • Fortes dores de cabeça – enxaquecas
  • Sonolência
  • Sono interrompido
  • Mudanças inexplicáveis em habilidades ou emoções

Distúrbios gastrointestinais

Problemas gastrointestinais podem ser comuns na população autista devido a deficiências nutricionais relacionadas a desafios alimentares e/ou seletividade alimentar. Os relatórios de prevalência variam e mais pesquisas são necessárias para determinar a prevalência e as causas precisas. 

Os indicadores que podem estar relacionados a problemas gastrointestinais são flatulência, rotinas restritivas ou irritabilidade na hora das refeições, dor de estômago, constipação e diarreia. No entanto, problemas gastrointestinais às vezes podem ser difíceis de identificar ou comumente negligenciados em pessoas autistas, principalmente se houver barreiras para comunicar dor e desconforto.

Saúde Mental

Como as pessoas não autistas, as pessoas autistas podem experimentar uma série de desafios da saúde mental ao longo da vida, embora possam experimentar esses desafios de maneira diferente. Por exemplo, uma pessoa autista pode ter mais exposição a eventos traumáticos ou experiências negativas devido à comunicação e diferenças sociais.

Aqueles no espectro também podem experimentar sofrimento adicional devido às pressões de se encaixar em um mundo que se esforça para entender e aceitar suas necessidades. A saúde mental existe em um espectro, abrangendo desde a ausência de sofrimento até condições de saúde mental diagnosticáveis.

“Muitos de nós com autismo também temos outros distúrbios de saúde mental. Eu tenho Síndrome de Tourette, Transtorno Obsessivo Compulsivo, TDAH e dificuldades de aprendizado. Mas eu sou Andrew, não apenas alguém com distúrbios de saúde mental e autismo” Adulto, Advogado Próprio, ON

Ansiedade

Os Transtornos de Ansiedade afetam 22% das crianças autistas de 5 a 17 anos no Canadá.

São necessárias mais informações sobre a ansiedade e a população adulta autista. Identificar a ansiedade em uma pessoa autista pode ser complicado por problemas de comunicação. 

A ansiedade social – ou medo extremo de novas pessoas, multidões e situações sociais – é especialmente comum entre pessoas autistas. Além disso, muitas pessoas autistas têm dificuldade em controlar ou administrar os sintomas de ansiedade, uma vez que eles são experimentados. 

Os sinais de que alguém pode estar se sentindo ansioso podem incluir:

  • Aumentos ou mudanças nos comportamentos repetitivos
  • Mau humor geral
  • Evitação
  • Distúrbios do sono
  • Queixas de dores de cabeça ou dores de estômago

Depressão

Os transtornos do humor afetam 6% das crianças autistas em comparação com 2% das crianças não autistas no Canadá. 42% dos adultos autistas sofrem de depressão ao longo da vida.

A Depressão pode ser causada por vários fatores, incluindo risco genético, química cerebral individual e circunstâncias ambientais. Os fatores contribuintes comuns na população autista são a falta de emprego significativo, estressores financeiros, esgotamento e sobrecarga, baixa autoestima, dificuldade em construir e manter relacionamentos saudáveis ​​e isolamento. 

As taxas de depressão para pessoas com autismo aumentam com a idade e a capacidade intelectual. Os desafios de comunicação relacionados ao autismo podem mascarar sinais de depressão.

Os sinais de que alguém pode estar se sentindo deprimido podem incluir:

  • Perda de interesse em atividades favoritas
  • Uma piora perceptível na higiene
  • Sentimentos crônicos de tristeza, desesperança, inutilidade e irritabilidade
  • Em seus pensamentos mais sérios e frequentes sobre morte e/ou suicídio

Transtorno Obsessivo Compulsivo (TOC)

O TOC e o autismo têm características sobrepostas que podem complicar o diagnóstico, como comportamentos repetitivos e pensamento perseverativos (um pensamento repetitivo que parece “preso” na mente). 

Acredita-se que 17% das pessoas autistas também tenham diagnóstico de TOC, embora se acredite que esse número seja maior devido aos desafios de diferenciar diagnóstico de autismo e TOC.

Trauma e Transtorno de Estresse Pós-Traumático (TEPT)

Existem muitos traços sobrepostos entre o autismo e aqueles que sofrem traumas. O TEPT ocorre em aproximadamente 4% das pessoas na população em geral versus 40% a 60% na comunidade autista.

A pesquisa mostrou que crianças autistas têm um sistema nervoso mais reativo e podem ser mais sensíveis a eventos traumáticos. 

Pessoas autistas também encontram vitimização ao longo da vida em taxas mais altas do que a população em geral, aumentando sua exposição a eventos traumáticos.

Mais pesquisas são necessárias para entender melhor como as pessoas autistas vivenciam o trauma e informar as melhores práticas terapêuticas para essa população.

Distúrbios do Neurodesenvolvimento

Os Distúrbios Neurológicos estão associados ao funcionamento do sistema neurológico ou do sistema cerebral e comumente ocorrem concomitantemente naqueles do espectro. 

Traços sobrepostos entre distúrbios neurológicos e autismo podem complicar um diagnóstico e exigir um clínico experiente.

Transtorno de Déficit de Atenção e Hiperatividade (TDAH)

O TDAH é caracterizado por padrões de desatenção, dificuldades para lembrar coisas, administrar o tempo e tarefas organizacionais e hiperatividade e/ou impulsividade que podem afetar o aprendizado e a vida diária. 

As pessoas com TDAH também têm uma abundância de pontos fortes únicos, como excelente imaginação e criatividade, fortes habilidades de resolução de problemas e a capacidade de hiperfocar em paixões e interesses. 

O TDAH está presente em 36,5% das crianças autistas, tornando-se o coocorrente mais comum na população autista.

Deficiência Intelectual

A Deficiência Intelectual (DI) envolve deficiências de habilidades mentais gerais que afetam o funcionamento adaptativo, e o início deve ocorrer durante o desenvolvimento inicial para atender aos critérios.

Aproximadamente 30% das pessoas autistas experimentam ID concomitante.

Este subconjunto da comunidade autista apresenta necessidades únicas e muitas vezes requer suporte de serviços especializados.

Dificuldade de aprendizagem

As Dificuldades de Aprendizagem afetam uma ou mais maneiras pelas quais uma pessoa recebe, armazena ou usa informações. As dificuldade de aprendizagem vêm em muitas formas e afetam pessoas com níveis variados. 

Há uma sobreposição significativa nas características de pessoas autistas e com dificuldade de aprendizagem, como interação social e diferenças de processamento sensorial.

Apraxia/Dispraxia

Caracterizados por desafios na coordenação dos movimentos envolvidos na fala, os indivíduos podem ter dificuldades com pronúncia, inflexão e palavras com várias sílabas. 

A Apraxia também pode afetar todo o corpo, resultando na incapacidade de realizar movimentos motores aprendidos sob comando. 

A Apraxia refere-se à perda completa da fala, enquanto a dispraxia é a perda parcial da capacidade de formar a linguagem/falar. Os termos podem ser usados de forma intercambiável por profissionais de saúde.

A Dispraxia é conhecida pejorativamente como “síndrome do desastrado”, caracteriza-se como uma disfunção neurológica que atua nas ações do cérebro, no que diz respeito à coordenação comandada pelo cérebro. As partes afetadas são aquelas que se referem aos aspectos motores, verbal e espacial.

Os sintomas que demonstram a existência da Dispraxia são variados. Importante notar que a maior parte deles costuma aparecer ainda na infância, quando a criança começa a querer a andar e a falar.

Abaixo alguns dos sintomas:

  • Problema em executar movimentos voluntários;
  • Coordenação motora que mostra desalinhamento (onde surge a forma pejorativa “síndrome do desastrado);
  • Dificuldade em ações como escrever, desenhar, traçar uma reta;
  • Problemas com a orientação espacial;
  • Dificuldades para organizar seu pensamento;
  • Dificuldades na fala, embora nem todos os pacientes diagnosticados com a Dispraxia tenham a função verbal afetada. A maioria dos casos pode vir com algum distúrbio associado ao transtorno;
  • Coordenações motoras e finas prejudicadas quando necessárias para alguma tarefa;
  • Lentidão em algumas atividades que exigem coordenação motora;
  • Determinados sinais: dificuldades para vestir uma roupa, ficar sentado, pular, etc.

Fonte: https://www.autismspeaks.ca/associated-conditions/

A Psicóloga Marina da Silveira Rodrigues Almeida é especialista em Transtorno do Espectro Autista em homens e mulheres. Realizo psicoterapia online ou presencial para pessoas neurotípicas e neurodiversas.

Realizo avaliação neuropsicológica online e presencial para diagnóstico de Transtorno do Espectro Autista em Adultos e TDAH.

Agende uma consulta no WhatsApp (13) 991773793.

Marina da Silveira Rodrigues Almeida – CRP 06/41029

Consultora Ed. Inclusiva, Psicóloga Clínica e Escolar

Neuropsicóloga, Psicopedagoga e Pedagoga Especialista

Licenciada no E-Psi pelo Conselho Federal de Psicologia para atendimento de Psicoterapia on-line

WhatsApp (13) 991773793

INSTITUTO INCLUSÃO BRASIL

Rua Jacob Emmerich, 365 – sala 13 – Centro – São Vicente-SP

CEP 11310-071

marinaalmeida@institutoinclusaobrasil.com.br

www.institutoinclusaobrasil.com.br

https://www.facebook.com/InstitutoInclusaoBrasil/

https://www.facebook.com/marina.almeida.9250

https://www.facebook.com/groups/institutoinclusaobrasil/

Instagram:

@institutoinclusaobrasil

@psicologamarinaalmeida

@autismoemadultos_br

Conheça os E-Books

Coleção Neurodiversidade

Coleção Escola Inclusiva

Os E-books da Coleção Neurodiversidade, abordam vários temas da Educação, elucidando as dúvidas mais frequentes de pessoas neurodiversas, professores, profissionais e pais relativas à Educação Inclusiva.

Outros posts

YOGA E AUTISMO

Há 36 anos sou psicóloga especialista em autismo, trabalhando diretamente com pessoas autistas e neurodiversas. As pessoas me dizem que deve ser muito difícil e

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

×